Call Center

Salvador e Região Metropolitana (71) 3345 8200
Feira de Santana 4020 8880
Alagoinhas 0800 071 8200
Seg à Sex - 6h às 19h Sábado - 6h às 17h

Blog

Saúde

Entrevista: médica infectologista Ceuci Nunes esclarece principais dúvidas sobre o HPV

10 de julho0 Comentários

O papiloma vírus humano (HPV) é uma das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) mais recorrentes no mundo. Pode causar doenças em homens e mulheres, como as verrugas e câncer.

A Organização Mundial da Saúde estima que o HPV infecte 65% das mulheres no mundo na primeira relação sexual.  No Brasil, a previsão é de que 75% das brasileiras sexualmente ativas entrem em contato com o HPV ao longo da vida.  Um estudo publicado pelo Ministério da Saúde em 2017 apontou que a doença afeta 54,6 %, dos jovens brasileiros com idade entre 16 e 25 anossendo que 38,4são de tipos de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

Com o objetivo de esclarecer as principais dúvidas sobre o HPV, a médica infectologista Ceuci Nunes fala dos métodos de prevenção, sintomas e a relação da doença com o câncer de colo de útero.

Ascom Labchecap: Qual a relação entre o HPV e o câncer de colo de útero?

Dra Ceuci Nunes: Mais de 95% dos casos de câncer de colo do útero estão associados ao HPV. Isso não quer dizer que toda mulher que tiver contato com a infecção desenvolverá a doença, mas significa que 95% das mulheres que desenvolveram a doença em algum momento tiveram contato com os tipos oncogênicos do HPV.

Ascom Labchecap: Você poderia explicar melhor?

Dra Ceuci Nunes: Existem mais de 200 subtipos do vírus do papiloma humano no mundo.  Entre eles, apenas 12 são considerados oncogêncios, ou seja: apresentam uma maior probabilidade de causar lesões mais persistentes que, quando não tratadas, podem evoluir para um câncer.  O HPV 6 e o 11  são considerados não oncogênicos e são encontrados em 90% dos condilomas genitais e papilomas laríngeos.  Já o HPV 16 e o 18 estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero.

Ascom Labchecap:  O câncer de colo de útero é o único tipo de câncer que o HPV pode causar?

Dra Ceuci Nunes: Não. Além de estar associado a outros tipos de câncer na mulher, como de vulva e vagina, pode causar câncer de pênis. Está também associado a câncer de ânus, orofaringe (garganta) e boca. Por isso, tanto homens quanto mulheres devem adotar cuidados preventivos e conversar periodicamente com o médico.

Ascom Labchecap: Quais são os sintomas e qual a especialidade médica que a pessoa deve procurar em caso de suspeita?

Dra Ceuci Nunes: Nem sempre a pessoa infectada pelo HPV apresenta algum quadro perceptível relacionado ao vírus. Entretanto, a ausência de sintomas não impede a transmissão da infecção. Por isso é fundamental que as mulheres se consultem anualmente com o ginecologista e os homens com o urologista. A avaliação de rotina pode detectar a doença, mesmo nos casos de pessoas assintomáticas, ou seja: sem manifestação de um quadro clínico definido.

Ascom Labchecap: A quais manifestações clínicas a população deve estar atenta?

Dra Ceuci Nunes: A manifestação mais comum é o surgimento de verrugas na região genital – chamados condilomas ou popularmente cavalo de crista – e na cavidade oral. Outras manifestações são lesões pré-cancerígenas, como o NIC (Neoplasia Intraepitelial Cervical) e o câncer, principalmente de colo de útero e os demais já citados. A depender do quadro clínico apresentado, outras especialidades podem ser consultadas como o infectologista, dermatologista, otorrino ou clínico geral. O importante é que existe tratamento para a grande maioria dos casos e a detecção precoce e o tratamento de lesões pré-cancerígenas impedem a evolução para o câncer.

Ascom Labchecap: Quais as principais medidas preventivas?

Dra Ceuci Nunes: O uso do preservativo durante as relações sexuais é importante, mas é uma prevenção parcial. Isso porque a doença pode ser transmitida pelo contato físico no ato sexual, mesmo sem penetração. A vacina é a principal forma de prevenção. Pode e deve ser utilizada mesmo após o início da vida sexual e estudos mostram uma proteção mais prolongada quando utilizada mais precocemente. Por isso a indicação a partir dos nove anos.

Ascom Labchecap: Quais são os tipos de vacinas ofertadas e quem deve tomar?

Dra Ceuci Nunes: Existem dois tipos de vacina: a bivalente, que protege dos vírus de tipo 16 e 18 e tem como objetivo a prevenção de câncer de colo uterino e a quadrivalente, que além dos tipos 16 e 18, contém os tipos 6 e 11, ampliando a proteção para verrugas genitais. Elas devem ser tomadas a partir dos 9 anos, em esquemas de duas ou três doses, dependendo da vacina e da idade da pessoa que vai ser vacinada. Para as mulheres as duas estão liberadas e para os homens apenas a quadrivalente é indicada.

Ascom Labchecap: Onde as vacinas podem ser encontradas?

As vacinas são ofertadas na rede particular e na rede pública de saúde. A campanha do SUS utiliza a quadrivalente e tem como público-alvo meninas entre 9 e 14 anos, meninos entre os 11 e 14 anos  e mulheres portadoras de HIV com idade entre 9 e 26 anos de idade. Na rede particular, a vacina pode ser utilizada por mulheres entre os 9 e 45 anos – tanto a bi quanto a quadrivalente – e a quadrivalente para homens com idade entre os 9 e 26.  Na rede privada, a vacina pode ser aplicada fora destas faixas etárias estabelecidas, por orientação e prescrição médica.

Você também pode ser interessar por:

Notícias

Vacina da gripe: conheça os tipos de vacina e proteja sua família

21 de março0 Comentários

Quando as temperaturas começam a diminuir é um indicativo de que nos aproximamos do período de maior circulação do vírus da gripe. Historicamente, essa é a fase de maior incidência da doença, que atinge milhares de pessoas todos os anos.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o vírus influenza representa um dos grandes desafios de saúde pública no mundo, com recorrência de um bilhão de casos anuais. No Brasil, somente até o mês de julho de 2018 foram notificados 4.680 casos da doença. Ao longo do ano, o país registrou 839 óbitos por gripe.

Em 2019, casos têm sido registrados na região Norte do país. Desde o mês de fevereiro, o estado do Amazonas vem enfrentando surto da doença, com mais de 150 casos registrados em Manaus e no interior. Por conta da situação, o Ministério da Saúde antecipou a campanha de vacinação contra a gripe na região.

A vacina protege contra os tipos mais graves da doença e deve ser tomada anualmente, sobretudo pelas pessoas com maior risco de desenvolver complicações, como as crianças, idosos e profissionais de saúde.

De acordo com a OMS, mais de dois milhões de mortes são evitadas todo anos com a vacinação contra a gripe.

Referência na Bahia, o Labchecap Seimi oferece as seguintes vacinas:

Quadrivalente, que é composta por quatro vírus da gripe e indicada para crianças a partir dos 6 meses de vida e adultos;

Trivalente, que pode ser tomada por crianças e adultos.

Enquanto a quadrivalente contém dois vírus influenza A (H1N1 e o H3N2) e dois da influenza B, a trivalente imuniza contra os dois tipos de influenza A (H1N1 e H3N2) e um tipo de influenza B.

Em Salvador, as vacinas são encontradas nas unidades Seimi Labchecap Barra, Itaigara, Labchecap Kids  Vilas do Atlântico.

A empresa também oferece o serviço de atendimento domiciliar para capital e região metropolitana; e de vacinação empresarial para todo o estado.

Seimi Labchecap. Segurança e proteção mais do que perto, do seu lado. Conheça as nossas unidades. Ligue e saiba mais 71 3352-820;

Notícias

Curso Nove Meses: segundo encontro do curso de gestantes e pais destaca a amamentação

18 de março0 Comentários

O segundo encontro do Curso Nove Meses para gestantes e pais acontecerá no dia 30 de maço. Nesta data, os participantes poderão aprender e tirar suas dúvidas sobre amamentação.

A programação ainda prevê a discussão sobre a importância e coleta do teste do pezinho e as primeiras vacinas do recém-nascido.

O curso acontecerá na unidade Labchecap Kids, localizada na Avenida Antônio Carlos Magalhães, nº 01, Pituba, das 16h às 18h. O espaço possui estrutura confortável, com estacionamento e manobrista gratuito.

As vagas são limitadas e é necessário se inscrever através dos números 71 99171-4115 (whatsapp), 3500-4115 ou 3500-4116. Os interessados poderão participar mediante a doação de 2kg de alimentos por pessoa.

Confira os assuntos do dia 30/03:

  • Amamentação I – aula ministrada pela consultora em aleitamento materno e especialista em UTI neonatal Fernanda Nunes;
  • Primeiras vacinas do recém-nascido – aula ministrada pela enfermeira e gerente do Seimi Labchecap, Kátia Bulhões;
  • Teste do pezinho. Sua importância e coleta – aula ministrada pela coordenadora técnica do Labchecap, Vetúria Oliveira.

Amamentação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta sobre a importância do aleitamento materno para o desenvolvimento das crianças. A Organização sugere que bebês sejam alimentados de forma exclusiva até os seis meses de vida e que a amamentação continue acontecendo por até dois anos junto com outros alimentos.

Primeiro encontro

primeiro encontro do Curso Nove Meses para gestantes e pais aconteceu no dia 26 de janeiro e tratou sobre o desenvolvimento do recém-nascido e da gestante. A programação também contemplou a discussão sobre vacinas, a importância dos exames no pré-natal e o papel da ultrassonografia.

Do Beta HCG ao teste do pezinho, o Labchecap está mais do que perto. Do seu lado! Conheça onosso check-up pré-natal .

Responsável Técnico de Laboratório: Dr. Josemar Fonseca Silva – CRF 1290

Responsável Técnico de Imagem: Dr. Lucas da Gama Lobo – CRM 16202